As (re)configurações da educação: a dimensão socioeducativa

Resumo

As Ciências da Educação (CE), para sobreviverem e se renovarem, não podem deixar de constituir-se como um lugar de articulação de interdisciplinaridades várias em torno da Educação. É neste sentido que, para responder às diversas problemáticas sociais, emerge a Educação Social entendida como um trabalho social e educativo, numa visão mais ampla quer de prevenção quer de ressocialização, tendo por base uma lógica interdisciplinar e transdisciplinar. Assim, no contexto desta problemática, traçámos para este artigo os seguintes objetivos: (i) repensar, com um olhar histórico, no quadro das CE, a dimensão socioeducativa da educação; e (ii) refletir sobre os contributos do conhecimento e da investigação em CE para as políticas e intervenção socioeducativas. Pelas fontes que compulsámos e pela análise bibliográfica que fizemos, podemos concluir que os vários dispositivos discursivos se foram progressivamente articulando na problematização e materialização do papel do educador na esfera da intervenção socioeducativa. E que o lugar da Educação Social, enquanto espaço de intervenção educativa e social, se está a configurar relevante na realidade socioeducativa portuguesa, contribuindo para alargar o perímetro do Estado de Bem-Estar (Antunes, 2013) e para una ‘buena vida’, ‘una vida resonante’, de que fala Harmud Rosa (2019).

Palavras-chave: ciências da educação; educação social; trabalho social e educativo.

Publicado
2020-11-03