Da geopolítica das potências à geopolítica do conhecimento: financeirização e epistemologias de mercado na educação superior brasileira

Resumo

Este artigo busca estabelecer os nexos geopolíticos que estão a produzir a reconfiguração político-institucional do sistema federal de educação superior brasileiro, com foco em sua acelerada financeirização e desnacionalização, concluindo pela identificação de aspectos conducentes a sua adequação a epistemologias de mercado. Parte do reconhecimento de que tais mudanças decorrem do processo de globalização político--econômica que demarca a geopolítica das potências, constituindo-se num processo de regulação transnacional que desborda para o campo educacional que induziu estratégias de privatização de potenciais mercados para, assim, estabelecer o controle da circulação do conhecimento, dado como fator distintivo da competição econômica contemporânea. A análise empreendida vale-se, principalmente, dos aportes teóricos da Sociologia Política da Educação e da Geopolítica, e nos dados do Censo da Educação Superior do MEC.

Palavras-chave: educação superior; Brasil; epistemologia de mercado; financeirização; privatização mercantil; regulação transnacional.

Publicado
2020-11-04