Inovação e mudança na formação de professores: reflexões sobre o processo de autonomia e flexibilização curricular em duas escolas da região de Lisboa

Resumo

Num contexto de uma sociedade individualizada e tecnológica, com novos e contraditórios mandatos dirigidos à escola, assistimos a uma tendência universal de introdução de sistemas de inovação curricular, com claras consequências para o sentido e o exercício da profissão docente. Inscritos no conceito de Ciência Pública, que assume o conhecimento socialmente enraizado e compartilhado como aquele que pode permitir o desenvolvimento, individual e coletivo, o estudo e a reflexão apresentada recaem sobre os resultados recolhidos junto dos docentes de dois agrupamentos escolares que aderiram ao Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular (PAFC). No quadro de uma investigação qualitativa, foram utilizados três instrumentos para a recolha de dados – documentos, questionários e observação participante – com o objetivo de identificar o processo de inovação definido em cada agrupamento escolar, bem como as conceções que subjazem à prática docente dos formandos, nomeadamente aquelas que estão no centro do processo de inovação e mudança em que participavam: currículo, professor e aluno. Os resultados apontam para a manutenção de conceções tradicionais de currículo, professor e aluno, assumindo em relação aos últimos uma representação pouco positiva, o que parece limitar e dificultar os processos de inovação a que as suas escolas aderiram. Simultaneamente, também não existe o desenvolvimento de políticas educativas integradas potenciadoras de transformação na sala de aula.

Palavras-chave: inovação; mudança; flexibilização curricular; autonomia

 
Publicado
2021-03-26